Alagoas reduz analfabetismo e tem 99% das crianças entre 6 e 14 anos na escola

A Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílios (PNAD Contínua) divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta quarta-feira (19) apresenta a evolução de Alagoas na escolarização infantil. Foi o maior aumento do país na faixa de crianças entre 0 e 3 anos de idade entre 2017 e 2018, passando de 23,6% para 30,1%.

Apenas oito estados da Federação registraram aumento nesse nível na PNAD Educação. Entre as crianças de 4 e 5 anos, quesito onde apenas cinco estados apresentaram crescimento, a taxa de escolarização em Alagoas passou de 86,8% em 2016 para 91,4% em 2018. Na faixa etária dos 6 aos 14 anos, de acordo com os dados do IBGE, Alagoas subiu de 98,6% para uma taxa de 99% das crianças matriculadas na escola.

Para o vice-governador e também secretário de Estado da Educação, Luciano Barbosa, esse crescimento é resultado de um empenho e reconhecimento de todos os prefeitos e secretários municipais de educação da importância de se investir no “chão da escola”. 

“É na educação infantil que precisamos investir. E assim lançamos, em 2017, o o regime de colaboração entre Estado e municípios para que possamos melhorar o acesso e a qualidade do ensino público. A educação infantil e o ensino fundamental estão nas mãos dos municípios e sem essa colaboração, não é possível dar um passo à frente sequer. Só unindo forças, vamos conseguir avançar”, declara Barbosa.

O programa Escola 10 tornou-se lei em 2018, aprovado pela Assembleia Legislativa, e agora é uma política pública.

Jovens 

Os indicadores educacionais para jovens de 18 a 24 anos em Alagoas também receberam destaque na PNAD Educação referente a 2018. Em um ano, a taxa subiu de 14,6% para 19,1%, sendo a segunda maior variação positiva registrada no país nesse segmento.

Esses indicadores também refletem a redução do abandono escolar no ensino médio da rede pública de ensino.  “Temos investindo no protagonismo juvenil e em aulas mais atrativas com robótica, por exemplo, além de melhorar a infraestrutura das escolas e construções de ginásios. E isso tem trazido excelentes resultados”, afirma o secretário da Educação de Alagoas.

De acordo com o Censo Escolar,  em 2015, a taxa de abando era de 16%, já em 2017 essa taxa caiu para 10%. Redução de 37,5%.

Analfabetismo 

De acordo com o IBGE, o Estado registrou uma taxa de analfabetismo de 17,2% entre a população com mais de 15 anos em 2018, contra 18,3% registrados em 2017. Em 2016, essa taxa era de 19,4%.

Entre a população com mais de 60 anos, parcela onde as taxas de analfabetismo são tradicionalmente mais elevadas, a sequência de queda também é visível. A taxa saiu de 46,1% em 2016 para 42,2% em 2017. Na PNAD Educação referente a 2018, ela ficou em 41,1%.

“É preciso cada vez mais investir no aprendizado na idade certa para não produzirmos mais analfabetos em Alagoas. É um processo a longo prazo, mas que já mostra resultados”, conclui Barbosa.

Ascom – 19/06/2019